Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Câmara quer explicações sobre eleição para conselho tutelar

Câmara quer explicações sobre eleição para conselho tutelar

Publicado em 26/08/2019.
Vereador Marcola convidou presidente do COMDICA e ex-secretária de Governo a comparecer na Câmara na quinta-feira
Câmara quer explicações sobre eleição para conselho tutelar

Volmer Perez

Os rumores sobre uma possível tentativa de fraude no processo seletivo dos candidatos à eleição do Conselho Tutelar em Pelotas obrigou a Câmara de Vereadores a marcar para a próxima quinta-feira uma reunião pública para discutir e esclarecer os fatos. A pedido do vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT) a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA), Maria de Lourdes Botelho e a ex-secretária de Governo, Clotilde Vitória estão sendo convidadas a comparecer no Legislativo para prestar esclarecimentos sobre a situação.

Marcola irá apresentar na sessão desta terça-feira requerimento solicitando que a Prefeitura encaminhar à Câmara cópias de todas as atas das reuniões do COMDICA nas quais o tema da eleição para o Conselho Tutelar foi tratada, bem como cópias dos pareceres emitidos pela Procuradoria Geral do Município sobre o assunto e, ainda, a listagem de todos os candidatos aprovados no processo seletivo e considerados aptos a participar das eleições.

“Há uma série de informações desencontradas sobre uma possível tentativa de fraude e isso não pode passar em branco, precisamos apurar todos os detalhes, ouvir todos os envolvidos e dar uma resposta rápida e concreta para à população”, diz Marcola.

A reunião pública está marcada para quinta-feira, dia 29, a partir das 10h30min na Câmara de Vereadores.

ENTENDA O CASO – No dia 7 de julho foi aplicada uma prova de 40 questões sendo 12 de legislação, dez de Língua Portuguesa e 18 de questões de conhecimentos gerais. A prova de caráter eliminatório teve seu resultado divulgado no dia 22 de julho e a divulgação dos candidatos aptos a disputar as eleições marcadas para 6 de outubro deveria ter sido feita na última sexta-feira, mas isso não aconteceu. Nos dias que antecederam a divulgação e durante este final de semana uma série de informações desencontradas foram publicadas em redes sociais e grupos de aplicativos de mensagens indicando que a demora em divulgar os candidatos aptos a participar da eleição estava atrelada a uma tentativa de anular questões da prova para aumentar o número de aprovados, o que caracterizaria fraude.

 

Texto: Assessoria de Imprensa do Vereador Marcos Ferreira PT

Redes sociais

Facebook  Twitter  Youtube  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

TV Câmara

Atendimento ao Cidadão

Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

Leis e Processo Legislativo

Licitacon