Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Câmara vai acompanhar processo eleitoral para conselho tutelar

Câmara vai acompanhar processo eleitoral para conselho tutelar

Publicado em 29/08/2019.
Vereadores seguem com dúvidas sobre o processo e discutirão o assunto na Comissão de Direitos Humanos e Cidadania do Legislativo
Câmara vai acompanhar processo eleitoral para conselho tutelar

Lenise Slawski

O resultado da reunião pública convocada pelo vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT) para apurar as denúncias de possíveis tentativas de fraude na seleção dos candidatos à eleição do Conselho Tutelar de Pelotas não agradou parte dos 21 vereadores. Após quase duas horas de explicações da presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA) e da ex-secretária de Governo, Clotilde Vitória ficou decidido que a Câmara deverá acompanhar de perto o processo eleitoral e que na próxima semana a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania presidida por Salvador Ribeiro (MDB) fará uma reunião para definir como isso será feito.

A ex-secretária Clotilde negou qualquer ingerência do Gabinete da Prefeita ou qualquer outra secretaria no COMDICA, especialmente no que diz respeito à prova para os candidatos à eleição do Conselho Tutelar e afirmou que as ações da administração se limitam a garantir a estrutura e o apoio necessário para que o processo seletivo e as eleições ocorram com tranquilidade. A atual Assessora Especial da prefeita negou ter sofrido qualquer tipo de pressão de vereadores ou qualquer outra pessoa para influenciar na decisão de anular ou não questões da prova para favorecer candidatos. “Não fui procurada por nenhum vereador em momento algum e preciso dizer que enquanto Assessora Especial do Governo não tive nenhum tipo de procura por vereador para saber de qualquer coisa sobre o processo”, disse.

 

A presidente do Comdica, Maria de Lourdes Botelho também negou ter tido qualquer conversa com vereadores sobre o assunto e refutou ter travado o diálogo através do WhatsApp que foi ‘printado’ e espalhado em redes sociais no final de semana. “Isso me deixou pasma e continuo assim. Fiquei sabendo desse print no domingo e na segunda-feira fiz registro na Polícia Civil e ofereci meu celular para a perícia tentar identificar o autor da conversa”, declarou.

DÚVIDAS – Após as explicações e as manifestações da plateia, formada por candidatos e conselheiros tutelares, os vereadores concordaram que ainda há muito o que explicar com relação à prova e a eleição marcada para outubro. “Não se pode ir para a eleição em um processo nebuloso, com dúvidas de quem participa, de quem ficou de fora e até por parte do Comdica”, disse Marcola. Assim, a Câmara irá aprofundar o debate sobre os fatos registrados até agora e fazer uma apuração própria sobre uma possível tentativa de interferência no processo.

No início da tarde os vereadores Marcola e Ademar Ornel (DEM) foram até a sede do Comdica e retiraram cópias das atas das reuniões de preparação do processo de seleção. O objetivo é saber quem participou das conversas para comprovar se não houve interferência da Prefeitura – o que é proibido por lei – e o que foi discutido e decidido especialmente sobre os recursos impetrados pelos candidatos reprovados na prova e os pedidos de anulação de questões.

“Todas as informações obtidas serão juntadas em um relatório que será encaminhado ao Ministério Público que já apura o caso na Promotoria da Infância e da Juventude”, disse Marcola.

 

Texto: Assessoria de Imprensa Marcos Ferreira PT

Redes sociais

Facebook  Twitter  Youtube  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

TV Câmara

Atendimento ao Cidadão

Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

Leis e Processo Legislativo

Licitacon