Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Comissão de saúde recebe secretária para discutir situação do SUS

Comissão de saúde recebe secretária para discutir situação do SUS

Publicado em 02/10/2019.
Pauta da reunião com vereadores inclui falta de médicos na rede, atendimentos de oncologia e crise da Santa Casa
Comissão de saúde recebe secretária para  discutir  situação do SUS

Lenise Slawski

A Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores recebe nesta quarta-feira (02) a secretária municipal da área, Roberta Paganini, empossada há 30 dias. A reunião tem como objetivo fazer um raio-x do sistema de saúde pública da cidade e os impactos que pode sofrer a partir da crise financeira da Prefeitura. A reunião pública está marcada para as 10h.

O presidente da Comissão de Saúde, vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT) argumenta que esta será a primeira conversa efetiva entre os integrantes da comissão e a nova secretária, já que em setembro Roberta esteve na Câmara apenas para discutir os indicadores trimestrais da secretaria e não houve uma discussão sobre os temas que afligem a população. “A vinda da secretária em setembro foi para cumprir a legislação, agora estamos propondo uma conversa franca e profunda sobre os problemas da saúde pública e suas ideias para solucioná-los”, disse.

Marcola salienta, ainda, a preocupação dos integrantes da comissão com o impacto da crise financeira do município na área da saúde. “Desde o ano passado faltam médicos e há várias queixas da população sobre demora por atendimentos especializados e exames e agora temos um quadro de grave crise financeira instalado. É preciso que a secretária apresente alternativas para pelo menos minimizar a situação e evitar que piore”, declara.

ONCOLOGIA – Um dos principais problemas a serem debatidos com Roberta Paganini é a fila de espera por atendimento de oncologia, que atualmente conforme dados da própria Secretaria de Saúde é de 140 pacientes, sendo que a cada mês aproximadamente 60 novos pacientes ingressam no sistema em busca do serviço. “A espera é muito longa e, cada dia sem tratamento representa um dia a menos de vida para os pacientes, além disso a angústia de ver um parente doente não receber tratamento destrói as famílias”, argumenta Marcola. 

 

TEXTO: Assessoria de Imprensa do vereador Marcos Ferreira PT 

Redes sociais

Facebook  Twitter  Youtube  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

TV Câmara

Atendimento ao Cidadão

Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

Leis e Processo Legislativo

Licitacon