Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Ruas do Getúlio Vargas recebem nomes de personalidades negras de Pelotas

Ruas do Getúlio Vargas recebem nomes de personalidades negras de Pelotas

Publicado em 25/11/2021.

Na Semana Municipal da Consciência Negra de Pelotas o vereador Paulo Coitinho (Cidadania) encaminhou à Comissão de Habitação e Regularização Fundiária, a qual é presidente, o Projeto de Decreto Legislativo que dá nome a ruas e avenidas do loteamento Getúlio Vargas. Ao todo, 35 locais passarão a ter nomenclatura com objetivo de facilitar a localização, através de um endereço completo com CEP, número do imóvel, bairro e cidade.

“O projeto visa atender solicitação do executivo com objetivo de efetivar e regularização fundiária de 2514 lotes do bairro Getúlio Vargas, cujo os nomes foram construídos em conjunto com a comunidade local. A inexistência de endereços com CEP ainda deixa os moradores sem possibilidade de comprovar residência, seja para confecção de documentos, matrículas em escolas ou inscrição em programas assistenciais”, explica o vereador proponente.

Quatro nomes de personalidades negras do município foram sugeridos pelo Projeto Museu do Percurso Negro de Pelotas e apresentados pelo parlamentar: Ivan da Rosa Cardoso, integrante do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), escoteiro e pesquisador. Figura marcada por críticas a invisibilidade dos negros, entre outros grupos, na história do Rio Grande do Sul. Durante anos, Ivan participou de programas de rádio, palestras em escolas, festivais, rondas, cavalgadas Rio Grande adentro. Foi o peão dos 200 anos de Pelotas, acendeu e foi guardião da Chama Crioula, que marca os festejos do 20 de setembro, em várias ocasiões. Na sua partida, em 4 de julho de 2018 deixou um acervo a ser explorado – Os Recuerdos do Último Lanceiro.

Outro nome indicado por Coitinho é o de Gilberto Amaro do Nascimento, mais conhecido como Giba Giba. Nascido em Pelotas, no dia 6 de dezembro de 1940 e faleceu em Porto Alegre, em 3 de fevereiro de 2014. Foi cantor, compositor, percussionista e ativista cultural brasileiro. Além de uma carreira de mais de 40 anos, Giba Giba foi ligado diretamente aos movimentos negros sendo assessor de assuntos afro açorianos da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre. Em 1999, criou o projeto cultural Cabobu, que se desdobrou em festivais realizados em 2000 e 2001, unindo músicos brasileiros como Chico César, Naná Vasconcelos a percussionistas gaúchos como Sandro Cartier, em Pelotas. Em 1994, recebeu o Prêmio Açorianos de Melhor Disco por Outro Um. Também recebeu o Prêmio dos Palmares, pela atuação artística e cultural. Participou da premiada trilha sonora do filme Netto Perde a Sua Alma e do curta O Negrinho do Pastoreio. Foi tema de samba-enredo do carnaval de Porto Alegre e Pelotas, com a Unidos do Fragata, e representou o Brasil no Festival de La Paz. Nos últimos anos, foi conselheiro na Secretaria da Cultura do Estado para assuntos afro-brasileiros.

A homenageada Griô Sirley da Silva Amaro nasceu em Pelotas/RS em 12 de janeiro de 1936. Filha de um pai cozinheiro e folião e de uma mãe que inventava pomadas e unguentos com ervas e temperos. Começou a trabalhar como costureira profissional de Alta Costura aos 13 anos, em 1949, encerrando sua carreira profissional em 2007, aos 71 anos, no mesmo ano em que foi reconhecida como Mestra Griô pelo Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura. Também é marcante a sua ligação com o Carnaval, do qual participa desde os oito anos de idade até hoje. Integrou os clubes negros de Pelotas “Depois da Chuva” e “Chove-não-Molha”, desde 1944. “Dona” Sirley participa intensamente das atividades culturais de sua cidade e região, compartilhando seus saberes em escolas e instituições em que é convidada. Sua primeira oficina como contadora de histórias foi sobre o cabelo afro para as Meninas do Instituto de Menores de Pelotas. No ano de 2013 foi vendedora do Prêmio Culturas Populares Edição 100 anos de Mazzaropi. Ela é uma ativista cultural que sempre trabalhou na cultura popular, especificamente no Carnaval, e que, concomitantemente, era costureira de Alta Costura, trabalhando para as madames mais importantes de Pelotas. Assim, ela usa a oralidade, hoje em dia, em suas oficinas de contação de histórias, para retratar o lugar do negro na sociedade. Sirley Amaro é uma Griô porque usa dos princípios africanos para organizar suas práticas de troca de saberes, o que ela chama de Vivências Griô.

Ademar Fernandes de Ornel, também terá seu nome homenageado. Ele estudou no Conjunto Agrotécnico Visconde da Graça (CAVG), foi presidente do Grêmio Estudantil Coronel Pedro Osório e reconstrutor da União Pelotense de Estudantes Secundaristas (UPES), onde também foi presidente. Após formar-se, Ornel ingressou na UFPEL para cursar as faculdades de Direito e Agronomia, vindo a se formar no ano de 1983, com pós-graduação em Ciências Políticas. Foi diretor administrativo da CTMR, professor do Cavg, advogado e vereador de sete mandatos. Politicamente, destacou-se pela sua capacidade de articulação e pelo perfil de excelente negociador e debatedor, tanto que foi eleito pelos demais vereadores por oito vezes Presidente da Câmara Municipal de Pelotas. Ornel foi o vereador que mais atendeu ao público. Como ele mesmo dizia “Sou vereador durante as 24 horas do dia”, e, por isso, dedicava integralmente o seu tempo para auxiliar àqueles que o procuravam. Para ele o compromisso mais sagrado de um político era lutar pela sua gente e pela sua terra.

“O Brasil é um país com várias manifestações da história africana (Áfricas), que se manifestam através da dança, música, religião e culinária. Em Pelotas teremos uma localização geográfica, que será um bairro da cidade com a denominação de personalidades negras", conclui o vice-presidente da Casa .”, conclui o vice-presidente da Casa .

*Confira abaixo a relação completa:*

Avenida 01 – AVENIDA IVAN DA ROSA CARDOSO
Avenida 02 – AVENIDA SIRLEY AMARO
Avenida 03 – AVENIDA GILBERTO AMARO DO NASCIMENTO - GIBA GIBA
Avenida 04 – AVENIDA VEREADOR ADEMAR FERNANDES DE ORNEL
Avenida 05 - AVENIDA REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA
Rua 01 - RUA RUANDA
Rua 02 - RUA SUDÃO
Rua 03 - RUA SOMÁLIA
Rua 04 - RUA PRETA G
Rua 05 – RUA PROFESSORA BIANCA AIRES DA SILVA
Rua 06 - RUA GANA
Rua 07 - RUA MADAGÁSCAR
Rua 08 - RUA MAURITÂNIA
Rua 09 - RUA NIGÉRIA
Rua 10 - RUA ANGOLA
Rua 11 - RUA CAMARÕES
Rua 12 - RUA SENEGAL
Rua 13 - RUA BENIN
Rua 14 - RUA MOÇAMBIQUE
Rua 15 - RUA COSTA DO MARFIM
Rua 16 - RUA BURKINA FASSO
Rua 17 - RUA UGANDA
Rua 18 - RUA NAMÍBIA
Rua 19 - RUA LIBÉRIA
Rua 20 - RUA ZIMBÁBUE
Rua 21 - RUA TANZÂNIA
Rua 22 - RUA SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
Rua 23 - RUA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO
Rua 24 - RUA ETÍOPIA
Rua 25 - RUA MALI
Rua 26 - RUA LESOTO
Rua 27 - RUA GABÃO
Rua 28 - RUA QUÊNIA
Rua 29 - RUA TOGO
Rua 30 - RUA NÍGER

Por Assessoria de Comunicação do Gabinete do vereador Paulo Coitinho (Cidadania)

Facebook  Twitter  Youtube  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

TV Câmara

Atendimento ao Cidadão

Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

Leis e Processo Legislativo

LICITACOMCIDADAO